segunda-feira, 23 de agosto de 2010


" ... tive vontade de perguntar, como uma mesma coisa podia ser tão medonha e tão gloriosa, e ter palavras e histórias tão amaldiçoadas e tão brilhantes. Nenhuma dessas coisas, porém, saiu de minha boca. Tudo que pude fazer foi virar-me para Liesel Meminger e lhe dizer a única verdade que realmente sei. Eu a disse à menina que roubava livros e a digo a você agora.

                    
Uma última nota de sua narradora
      
                        
Os seres humanos me assombram."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da postagem, comenta :]